Rodolfo Peres – nutricionista – CRN3 16389

5 dúvidas comuns sobre Nutrição

Esta semana separei cinco questionamentos que são muito comuns no consultório.
Acredito que muitos de vocês tem curiosidade sobre esses assuntos! Espero que gostem!

1) Ingerir líquido com as refeições é errado?
Considero a necessidade da ingestão de líquidos com as grandes refeições (almoço e jantar), um parâmetro sobre como está a hidratação do indivíduo. Alguém que se hidratou adequadamente durante o período da manhã e durante o período da tarde, não sentirá necessidade do consumo de líquidos durante a refeição. O grande problema dessa prática, é atrapalhar o processo de mastigação, quando literalmente se empurra os alimentos com refrigerantes ou sucos. Com isso, além de proporcionar problemas gástricos, teremos uma menor absorção de nutrientes. Não vejo problemas no consumo de uma pequena quantidade de líquido (água no caso) durante a refeição, desde que não se atrapalhe o processo de mastigação. Já a ingestão de grande quantidade de líquido, tende a atrapalhar o processo digestivo pela grande diluição do suco gástrico.

2) Manteiga Ghee é uma boa ideia para o preparo dos alimentos? E o óleo de coco?
A diferença da manteia Ghee para a manteiga mais tradicional, é um preparo mais elaborado, onde elimina-se por completo os resíduos de lactose. Ela não tem grandes vantagens adicionais como muitas pessoas acreditam. Se for utiliza-la para untar panelas e frigideiras, cuidado com a quantidade, pois trata-se de um alimento riquíssimo em gorduras e consequentemente, em calorias.
Já o óleo de coco é rico em triglicerídeos de cadeia média (TCM), principalmente o ácido láurico. É um tipo de gordura que apesar de saturada, apresenta uma fácil digestibilidade e rápida absorção.

Criou-se um mito de que seu uso ajudaria no emagrecimento, pois
alguns estudos apresentaram um aumento na taxa de oxidação de lipídios quando se introduziu o óleo de coco na dieta. Mas esse aumentou permaneceu apenas por 2 semanas, não sendo válido a longo prazo. Em dietas cetogênicas ou baixas em carboidratos, vejo utilidade na utilização de óleo de coco como fonte energética pré-treino. A popular combinação de café com óleo de coco se encaixaria bem nessas situações. O efeito energético do TCM se aliaria com o efeito estimulatório no sistema
nervoso central proporcionado pela cafeína. Mas não vejo validade nesta estratégia se a dieta for rica em carboidratos. Para cocção o óleo de coco pode ser interessante, desde que não exceda a temperatura de 175ºC.

3) Pão integral é muito superior ao pão branco?
Avaliando a tabela nutricional de ambos, o integral possui mais fibras, vitaminas e sais minerais. Mas o que fará realmente a diferença, é o que você vai colocar no pão para compor a refeição. Por exemplo: um pão francês com ovo mexido, é nutricionalmente superior ao pão integral com margarina. Lógico que quando elaboramos um programa
alimentar de alguém que já tem uma alimentação avançada, a questão seria escolher entre os integrais, o mais adequado. Mas de uma maneira macro, sou sempre favorável a fazermos a reeducação nutricional gradativa. Gosta muito de pão branco? Comece controlando a quantidade e o recheio. Ao invés de dois pães franceses com margarina, provavelmente você se satisfará com um pão francês com queijo cottage, desde que na mesma refeição você também inclua outros alimentos para lhe proporcionar saciedade.
Que tal mamão ou banana com aveia? Tomar um iogurte sem açúcar em conjunto?
Avalie sempre a refeição como um todo e não apenas o alimento de maneira separada!
Lembrando que para os intolerantes ao glúten, outras opções de pães devem ser sugeridas.

4) Devo retirar as gemas ou devo comer os ovos inteiros?

Há muitos anos a gema do ovo foi condenada com um alimento ruim para nossa saúde, por ser rica em colesterol. Após muitos anos, constatou-se que nosso organismo regula a produção de colesterol de acordo com sua ingestão. Ou seja, se você ingerir mais colesterol por meio da dieta, seu organismo produzirá menos. Com isso, atingiria o equilíbrio. Uma alimentação rica em gorduras saturadas e hipercalórica, que causaria esse
efeito hipercolesterolêmico. Se analisarmos o valor nutricional da gema, constatamos que é um ótimo alimento, possuindo um excelente valor nutricional. Inclusive, o estímulo na síntese proteica é muito superior com a ingestão dos ovos inteiros, quando comparado com a ingestão apenas das claras. No entanto, devemos sempre avaliar a refeição como um todo. Algumas vezes precisamos de uma refeição rica em proteínas, mas pobre em gorduras. Desta forma, seria uma situação para retirar as gemas, consumindo apenas as claras. Mais uma vez a importância de não generalizar!

5) Tapioca é realmente uma ótima opção de alimento fonte de carboidrato para substituir o pão? Antes do exercício é um bom alimento?
Há alguns anos, a tapioca, alimento muito comum nas regiões norte e nordeste, começou a ser associada com nutrição esportiva e emagrecimento. No entanto, tem muita gente que não está tendo resultados desejados, justamente por exagerar no consumo desse
alimento rico em carboidratos. Por não possuir glúten, pode ser uma opção para pessoas com restrição ao consumo de farinha de trigo. Se for utiliza-la, cuidado com as quantidades, com o recheio e com o horário de uso. Como é um alimento rico em carboidratos, é interessante que se tenha uma atividade física após seu consumo. Como possui um elevado índice glicêmico, pode trazer uma hipoglicemia de rebote durante a atividade. Portanto, sugiro um recheio proteico (frango desfiado ou ovos) para reduzir o impacto desse carboidrato na corrente sanguínea. Outra dica é durante a atividade, utilizar alguma bebida que contenha carboidratos, para manter a glicemia equilibrada. Vejo muitas pessoas comendo tapioca com pasta de amendoim ou outros recheios calóricos, em momentos com baixo gasto energético, como em um jantar, considerando-se que não exista atividade física à noite.

Cuidado para não estar errando nisso!

#vivaemdietavivamelhor #rodolfoperes #nutriçãoeindividualidade  #goaheadnutrition

Cadastre-se para receber novidades: