POTENCIALIZE SEU CÉREBRO!POTENCIALIZE SEU CÉREBRO!
Tanto no esporte, quanto em atividades que necessitam de maior disposição mental, a cafeína tem sido a substância com efeito ergogênico mais utilizada na história. No entanto, sempre soubemos que algumas pessoas toleram melhor altas doses de cafeína do que outras. E hoje isso pode ser confirmado com o auxílio da nutrigenética. Avaliando o gene CYP1A2, conseguimos descobrir a capacidade de metabolização da cafeína de cada indivíduo. Para aqueles que não são bons metabolizadores, atualmente, contamos com outras substâncias igualmente efetivas. Já os que são bons metabolizadores podem se beneficiar dessas substâncias, mesmo que utilizando-as em conjunto com a cafeína, pois os mecanismos de ação são diferentes.  Substâncias com ação adaptogênea, como aswagandha, panax ginseng, Rhodiola rosea, fosfatidilserina e acetyl-l-carnitina, têm apresentando grandes resultados na melhora da cognição. O mesmo ocorre com os potencializadores colinérgicos como Alpha GPC, citicolina e huperzine A. Seu uso como neuroprotetor, evitando efeitos neurodegenerativos que naturalmente ocorrem com nosso envelhecimento, há anos é intensamente pesquisado, apresentando ótimas conclusões. Mais recentemente, começaram a atribuir, além dos efeitos neuroprotetores, ação ergogênica que pode potencializar a ação cognitiva.  Outra substância que vem ganhando a adesão de muitas pessoas é a teacrine. Esta substância possui estrutura muito semelhante à cafeína. Seu uso proporciona um aumento no potencial de concentração, mas sem afetar a frequência cardíaca, diferente do que ocorre com a cafeína. No esporte, uma queixa de indivíduos usuários de cafeína que realizam atividades com alta intensidade, é o desconforto causado pelo aumento na frequência cardíaca nas dosagens sugeridas com potencial ergogênicos (entre 3 e 6 gramas/kg corporal). Portanto, a substituição por teacrine ou a combinação de doses mais baixas de cafeína e teacrine, tem se tornado uma ótima opção.  Combinação interessante, ainda se falando de cafeína, é associá-la com l-theanina e taurina. Estas duas substâncias conseguem amenizar o impacto da suplementação de cafeína sobre a frequência cardíaca, sem interferir no seu efeito ergogênico quanto ao sistema nervoso central. Sem contar, que a taurina também apresenta bons efeitos na redução da fadiga quando administrada antes do exercício. Resumindo: seja seu objetivo performance atlética ou intelectual, você pode otimiza-la com a suplementação alimentar. O profissional que fará a prescrição deve estar sempre atento as posologias de cada uma dessas substâncias. Dosagens abaixo da sugestão mínima de prescrição não trarão qualquer efeito positivo. Em países desenvolvidos, como nos Estados Unidos, essas substâncias são comercializadas livremente,  em qualquer loja de suplemento ou supermercado. No Brasil, quem quiser se beneficiar do seu uso, ainda precisa da prescrição de um nutricionista ou médico, e manipular as fórmulas em farmácias especializadas.

ADAPTOGÊNICOS – POSOLOGIA

ASHWAGANDHA 400 – 600 MG

PANAX GINSENG 200 – 400 MG

RHODIOLA ROSEA 300 – 70 MG

FOSFATIDILSERINA 200 – 400 MG

ACETYL L-CARNITINA 2000 – 3000 MG

POTENCIALIZADORES COLINÉRGICOS

HUPERZINE-A 50 – 200 MCG

CITICOLINA 300 – 700 MG

ALPHA GPC 300 – 600 MG

COMBINAÇÕES COM CAFEÍNA

CAFEÍNA 100 – 420 MG

TAURINA 500 – 2000 MG

L-THEANINE 100 – 300 MG

TEACRINE 100 – 200 MG

OBS: a sugestão de uso da cafeína no esporte gira em torno de 3 – 6 gramas/kg. Mas dosagens acima de 400 mg geralmente só são bem toleradas por indivíduos com ótima capacidade de metabolização dessa substância.